0

Escola de Rodeio dá esperança de uma Vida Melhor

As regras da Academia de Rodeio Shaftesbury são simples: quem não vai à escola não participa do rodeio. Esta é uma mensagem que os adolescentes da escola em Bisley Farm, cuja maioria nunca frequentou nenhuma escola regularmente, levam muito a sério. Isto porque toda sexta-feira à noite eles querem se juntar a seus amigos para montar em touros por alguns segundos de pura adrenalina e dar asas ao sonho de um dia serem estrelas de rodeios.

Rodeo Academy (PT) from Rotary International on Vimeo.

Além de disciplinas acadêmicas, a escola desta região rural de Queensland, na Austrália, ensina os meninos do povo aborígene Wakka Wakka algumas técnicas de agricultura e pecuária. Na Austrália, este tipo de escola é comum e oferece educação alternativa para estudantes com condições desfavoráveis. Para muitos deles, a Bisley Farm representa a melhor chance de melhorarem sua vida.

Mas regras são regras. Assim, para poderem participar do rodeio da sexta, os alunos precisam comparecer às aulas de segunda a quinta-feira e fazer todos os trabalhos, incluindo tanger o gado. Não é de se estranhar, portanto, que a frequência e desempenho dos estudantes melhoraram muito.

“Estes meninos são muito durões”, diz Kristian Wale, associado do Rotary Club de New Farm e diretor do Shaftesbury Centre, que patrocina a Bisley Farm,. Segundo a Australian Bureau of Statistics, os povos indígenas formam apenas 3% da população do país, mas representam 50% da população dos centros de detenção juvenil e 27% da população adulta carcerária.

“A maioria dos meninos [que nos procuram] não sabe ler, mesmo que já tenha frequentado a escola”, conta Kristian. “Nós oferecemos educação básica e os entrosamos socialmente, preparando-os para o mercado de trabalho.”

Nada disso existiria sem o Rotary.

Subsídios poderosos

Depois de participar de um seminário sobre Subsídios do Rotary em 2010, George Grant, então presidente do Rotary Club de Bribie Island, decidiu que queria fazer algo pelos adolescentes aborígenes. Ele conheceu Kristian na conferência e os dois tiveram a ideia de iniciar operações de pecuária de corte perto de Cherbourg, com a assistência do Shaftesbury Centre.

“Quando apresentei a ideia ao meu clube, parecia algo quase impossível. Alguns associados rapidamente apoiaram a iniciativa, enquanto que outros expressaram alta e claramente sua oposição”, conta George. “Eles não sabiam como que um clube com menos de 30 associados conseguiria levantar o dinheiro necessário para um projeto deste porte.”

George diz que, no início, parecia que os opositores estavam certos, especialmente quando os planos do projeto revelaram o escopo da atividade. Eles precisavam comprar gado, trailers, cercados e um prédio para a escola. E o que fariam com a carne depois? Para as operações serem sustentáveis, eles teriam que descobrir uma maneira de vender a carne.

Então eles iniciaram a atividade em menor escala, com apenas seis cabeças de gado, um trailer e um pouco de cercado. A seguir, eles começaram a fazer pedidos de subsídio do Rotary e receberam mais de US$120.000.

Com o apoio de clubes vizinhos que realizaram eventos de arrecadação de fundos, o Rotary Club de Bribie Island conseguiu doar milhares de dólares ao projeto.

 

Fonte: Rotary News , 17-Jul-2015 \ Nancy Shepherdson \ link direto

Avatar

Lessandro Bonato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *